Ter colesterol alto no organismo é uma das condições que mais ameaçam a saúde. Quando atinge níveis elevados, ele pode obstruir vasos sanguíneos e influenciar no desenvolvimento de diversas doenças sérias.

Mitos e verdades sobre o colesterol alto

Ter colesterol alto no organismo é uma das condições que mais ameaçam a saúde. Isso porque quando atinge níveis elevados, ele pode obstruir vasos sanguíneos e influenciar no desenvolvimento de diversas doenças sérias.

Não é apenas uma dieta rica em gorduras que determina o aumento do colesterol. O histórico familiar e as doenças associadas também pesam. Como as cardiovasculares, as renais e as hepáticas – que atingem o fígado. Porém, ainda existem muitas dúvidas e o cardiologista Ronaldo Vegni desvenda alguns mitos e verdades sobre ele.

Todo colesterol é ruim

Mito. Ele é uma gordura fundamental para o bom funcionamento do corpo e é dividido em dois tipos: o colesterol bom (HDL) e o colesterol ruim (LDL). Enquanto o bom aumenta com a prática de exercícios físicos e uma boa alimentação, prevenindo o infarto e outras doenças cardiovasculares, o ruim faz exatamente o contrário.

Diminuir drasticamente os carboidratos na dieta pode aumentar o colesterol

Verdade. Pois uma dieta saudável deve contemplar todos os grupos alimentares, incluindo proteínas, gorduras e carboidratos. Isso é para fornecer as vitaminas, nutrientes e minerais que o organismo precisa para funcionar da melhor maneira. Quando um desses grupos, no caso os carboidratos, é cortado, a tendência é que ele seja compensado com mais proteínas e gorduras, o que pode aumentar o nível de colesterol.

Apenas pessoas com sobrepeso ou obesas têm o nível mais elevado

Mito. Uma grande quantidade de gordura pode indicar o aumento do colesterol. Mas isso não exclui a possibilidade de que pessoas que estejam no peso ideal também tenham colesterol alto.

Estatina é uma das melhores formas de controlar o colesterol

Verdade. O uso regular das estatinas pode reduzir em até 70% os níveis do colesterol, reduzindo, consequentemente, os riscos das doenças influenciadas por ele. Porém, qualquer tratamento deve ser orientado e supervisionado por um médico especialista, já que a possibilidade de causar efeitos colaterais, como dores musculares, sempre existe.

“Algo que tem sido divulgado como verdadeiro é que o óleo de coco diminui o colesterol e que ele deve substituir os outros óleos na preparação das refeições, porém trata-se de outro mito. Isso porque ele é rico em gorduras saturadas, que podem elevar o colesterol ruim (LDL) caso seja consumido em excesso”, afirma Vegni.

Comer ovo aumenta os níveis

Mito. Qualquer alimento em excesso pode trazer mais malefícios do que benefícios. O ovo tem uma quantidade considerável de colesterol, então é recomendado que seu consumo seja feito com moderação.

Basta fazer um exame de sangue para descobrir se as taxas estão elevadas ou não. Caso o colesterol total esteja superior a 190mg/dL ou o HDL esteja abaixo de 40mg/dL, o paciente deve buscar a orientação de um médico para saber a melhor maneira de tratá-lo.